Vacinação do Filhote: Quando? Como? Por que?

   Os filhotes de cães e gatos, assim como os humanos, nascem imaturos. Quem já teve a oportunidade de conviver com uma ninhada, sabe bem que no começo da vida eles precisam de muitos cuidados de sua mãezinha. Os recém  nascidos não podem ver, ouvem pouco e precisam de ajuda até mesmo para defecar e urinar.

Dessa mesma forma, o sistema imune destes animais ao nascer não está completamente pronto, ou seja, ele não tem condições próprias de montar resposta adequada para defender o organismo contra algumas doenças. Os filhotes herdam de suas mães uma boa quantidade de anticorpos, que são ingeridos junto com o colostro (leite materno disponível nos 2-3 primeiros dias de vida) que os protegerão das principais doenças do ambiente até cerca de 6 semanas de idade. A partir dessa fase, o filhote, mesmo que ainda esteja com a mãe, já não tem mais anticorpos maternos suficientes para manté-lo protegido.

É neste momento que devemos começar a imunização através da vacinação. As vacinas estimulam o sistema imune a produzir anticorpos contra doenças graves específicas e permite que, caso animal entre em contato com o agente causador da doença , ele estabeleça resposta imune contra o agente agressor, evitando que ele adoeça ou amenizando os sintomas.

Como o filhote não tem ainda o seu sistema imune totalmente formado, são necessárias algumas doses de vacina em intervalos regulares para que ele permaneça adequadamente protegido durante essa fase. No caso dos cães e gatos, devemos estender esse protocolo pelo menos até as 16 semanas de idade.

Animais que não mamaram o colostro, que apresentaram alguma doença durante, que estão subnutridos, ou que vivem em ambiente de alto risco, requerem uma avaliação especial com adequação do protoco pelo Médico Veterinário.

O reforço vacinal realizado quando o animal completa 1 ano de vida ajuda a garantir a cobertura imunológica dos animais que por algum motivo particular não responderam perfeitamente à vacinação quando filhote.

Lembre-se que apenas o Médico Veterinário é capaz de availar o seu animal, estipular o protocolo vacinal adequado para ele e aplicar as vacinas corretamente. As vacinas éticas e de qualidade (que alguns chamam de “importadas”)  não são vendidas em pet shops ou agropecuária, mas esse é um assunto a parte que abordaremos em um próximo post.

Anúncios

Vacinação X Imunização

Que é importante vacinar os cães e gatos, hoje ninguém mais tem dúvidas. Mas, será que após as vacinas, eles estarão realmente protegidos contra as doenças que a vacina abrange?

Garantir a adequada imunização  de um animal depende de vários fatores associados como, por exemplo:

– maturidade e integridade do sistema imunológico;

– presença ou ausência de anticorpos maternos;

– doenças concomitantes;

– pressão de infecção;

– qualidade da vacina utilizada e armazenamento adequado.

Somente um médico veterinário poderá avaliar o seu animal e traçar um protocolo vacinal adequado e especialmente desenvolvido dentro das suas necessidades.

Imunizar os seu animal é muito mais do que vaciná-lo! Fique atento e fuja de programas pré-padronizados e vacinas vendidas em pet shops e agropecuárias que não são aplicadas por Médicos Veterinários.